Desvendando Avah Gina

A Primeira vez que ela está se expondo. Como toda primeira vez que se preze, uma conversa delicada.

Uma mulher que não pode se expor completamente, principalmente, em respeito a família tradicional e conservadora, ela fala abertamente sobre sexo. Decidiu apenas não enfrentar nem entrar em choque, por amor e respeito.

Começou com a coluna na Revista Due. O sucesso foi arrebatador. Eu tive acesso a @AvahGina após investigação, insistência e com a condição de guardar o segredo. Sou amiga de @ValnaDantas e de @Lala_Dantas, que são as diretoras da revista, e me permitiram fazer esse papo pra lá de intimo com a autora mais quente e mais polêmica da @RevistaDue.

“É muito mais prazeroso falar sobre sexo do que nossa moral permite”, ela já começa assim. O tema escolhido pra essa conversa foi o ‘Prazer Feminino‘.

Para Avah, desvendar os caminhos do tal prazer é simples. “Se toca!” ela diz com naturalidade. Esse é o primeiro passo. A mulher precisa aprender a se tocar, conhecer o próprio corpo, reconhecer os caminhos pra poder ensinar ao parceiro. Há mais mulheres insatisfeitas com o jeito com que o seu parceiro a toca, do que deveria. ‘Mais devagar, querido. Menos força e mais jeito’ Eis o segredo que toda mulher deveria dizer ao parceiro. O cara lá, jura que tá arrasando e a mulher fingindo que tá gostando. Depois de se tocar, se conhecer, mostre ao parceiro o caminho. Uma boa conversa é garantia de mais prazer na cama. Ela afirma, com a segurança de quem sabe o que diz.

O papo vai ficando intimo mesmo. Avah fala de um jeito tão natural (como o sexo deve ser encarado), que parece que estamos num papo de meninas sobre esmaltes, cabelos e dietas. Vamos em frente!

Libertar-se dos tabus e das amarras impostas pela criação é uma das formas. Pesquisar a respeito, ler, ver filmes, conversar com as amigas e com o parceiro. ‘Se toca!’ Esse papo de castração sexual feminina, não tá com nada!

Descubra o que você gosta. E so diga que não gosta depois de ter tentado. Sabe o que não curte já é meio caminho andado. Provocativa, pergunto: “Entre quatro paredes vale tudo?” Ela diz que sim! Mas você precisa saber o que gosta e quais os limites que não irão te bloquear. Mas a busca pelo prazer do outro, precisa ser uma vontade da mulher também.

Quando o assunto é sexo oral, ela confidencia: “A mulher não sabe o poder que tem um sexo oral bem feito”. Ela aconselha para as iniciantes: “Se o que não te atrai é o sabor, ou falta dele, leve um gelzinho com sabor, leite moça, vinho, champanhe, halls preto ou qualquer outra coisa. Não faltam opções, o mercado erótico está ai pra te ajudar, querida. Invente, experimente, não se deixem intimidar.” Tem muita mulher que tem nojo, ela reconhece. Mas afirma que é possível algumas estratégias para driblar esse impasse e se dedicar a dar prazer ao parceiro. Sem subserviência, com entrega e prazer. Não faça pra fazer favor, ela ressalta.

O papo tá ficando quente, decido testar os limites do conhecimento da entrevistada.

Em tempos onde até a Sandy fala em sexo anal, nós não ficaríamos pra trás. Opa! Duplo sentido. Ela acredita que é possível sim ter prazer na prática anal. Com paciência, cuidado e muito jeito. Sem esquecer que a mulher precisa sempre ser estimulada no ‘botãozinho do prazer’. Com segurança, ela afirma: “O trabalho de conquistar intimidade e cumplicidade na cama, começa bem antes. No telefonema, no abrir a porta, no beijo na testa, com o cheiro, o abraço. Não chegar na hora e dizer: quero fazer isso. A entrega da mulher começa bem antes de chegar no ato sexual.”

Ponto pra Avah. Decidimos deitar no Divã e ouvir seus segredos. Sabe-se lá quando iremos precisar.

Quando dá dicas sobre brinquedinhos na cama, ela pede cautela para as mais tímidas. Vá com calma, leve um item diferente por vez. Uma camisinha com sabor, um balde de gelo, uma pastilha na boca. E depois, vá incrementando com outras coisas. Se a riqueza mora mesmo nos detalhes, ela enfatiza: ‘Uma pena”. Tente uma pena. É uma pena que você não saiba do que uma pena é capaz de fazer por uma pessoa na cama.

O papo de hoje foi a quatro mãos. Tudo que escrevi aqui foram os conselhos de AvahGina, mesmo quando não estava entre aspas. Minha leitura erótica ainda é pouca, pra escrever com tanta segurança, quanto o modo com o qual ela fala. Decidi fazer esse papo, porque além do sucesso que ela está fazendo com suas matérias, ela já recebeu convite pra ter um consultório online, atraves de um blog. E promete ajudar muita gente com suas opiniões e experiências.

Além do mais, todo mundo gosta de um papinho mais íntimo, vamos admitir. 😉

O @PapoBlogueiro de hoje foi sobre prazer feminino e seus caminhos. Destemida, @AvahGina tem mesmo muito o que nos dizer. Enquanto você não ‘Se toca’ do que pode ser feito, ela nos dá um toque dos caminhos para o prazer.

Foi bom pra você?

Até o próximo @PapoBlogueiro!

@PaulaMontnegro

Anúncios
4 comentários
  1. Lili disse:

    ui que delícia de papo. Arrasa AVAAAAAAHHHH!

  2. Valná disse:

    ô, a RevistaDUE está bem servida, hein? Adoooro Avah.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: